Publicado em: sexta-feira, 15/06/2012

Caso Yoki – Executivo teria sido decaptado ainda vivo

O DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), da Polícia Civil, está trabalhando com a hipótese de que o executivo Marcos Matsunaga, 42 anos, tenha sido decapitado pela esposa, Elize Matsunaga, 30 anos, enuanto ainda agonizava depois de levar um tiro de pistola 380 na cabeça.

Segundo o laudo necroscópico a respeito do assassinato da vítima, a morte ocorreu por “choque traumático (traumatismo craniano) associado a asfixia respiratória por sangue aspirado devido a decapitação”.

Sendo assim, os policiais do DHPP estão aguardando os laudos da simulação do crime para poder esclarecer a maneira como Matsunaga foi morto. No lauda ainda está declarado que o tiro de pistola 380 de Elize contra o exacutivo “foi de característica do tipo encostado” (à queima roupa). O disparo foi feito da esquerda para a direita, e da parte de cima para baixo, na parte da frente.

Elize foi indiciada por homicídio duplamente qualificado (quando o motivo é considerado fútil e de maneira cruel), além de ocultação de cadáver. A família da vítima havia considerado pedir o exame de DNA da filha de um ano do casal, para verificar se Matsunaga é mesmo o pai, contudo voltaram atrás da decisão.