Publicado em: segunda-feira, 25/06/2012

Caso Yoki: Em carta, Elize se diz arrependida

Neste domingo (24) os advogados de defesa da enfermeira Elize Matsunaga, 30 anos, publicaram uma carta. O documento diz que a criminosa estaria arrependida de ter matado e esquartejado o marido, o executivo e herdeiro da Yoki Alimentos, Marcos Matsunaga, 41 anos.

A carta escrita por Elize foi apresentada durante o Fantástico, deste domingo. O assassinato ocorreu na noite do dia 19 de maio, no apartamento onde o casal morava, na zona oeste de São Paulo.

Elize confessou o crime e está presa desde o dia 4 de junho. Na semana passada, a enfermeira foi acusada pela Justiça como ré no processo que a acusa de ter matado o marido para receber 600 mil reais de seguro de vida do marido e ainda como vingança de uma traição.

Segundo Elize, sua vida vem sendo comparado a um conta de fadas sem final feliz. Ela escreve que não houve conto de fadas porque ela não se lembra de ter lido uma história em que o príncipe humilha a heroína, e nem de ouvir que o príncipe que tira a princesa do lixo e que esta deveria ser submissa apenas por ser sua esposa.

De acordo com a versão de defesa do caso, o casal teve uma briga, onde Matsunaga teria dado um tapa no rosto de Eliza. Ela então matou o marido com um tiro na cabeça e apos dez horas de espera ela esquartejou o marido. Todas as marcas de sangue foram limpas.

Já o laudo publicado afirma que no momento do tiro Matsunaga não estava em pé, colocando em cheque a versão que ele teria agredido Elize. A causa da morte teria sido choque traumático associado a asfixia respiratória causando pela inspiração de sangue por conta de uma decapitação. Ainda, o executivo estava vivo quando Elize contou os braços e a cabeça do marido.