Publicado em: quinta-feira, 21/06/2012

Caso Yoki – Elize Matsunaga é transferida para mesmo presídio de outros criminosos nacionalmente conhecidos

Na última quarta-feira (20), Elize Matsunaga, de 30 anos, foi transferida da Cadeia Pública de Itapevi, localizada na Grande São Paulo, local em que estava desde o dia 5 deste mês, para o Complexo Penitenciário de Tremembé, no interior paulista.

O complexo de Tremembé é famoso por ser destino de condenados e acusados de crimes de repercussão nacional, sendo chamado de “Presídio de Caras”, referência à revista “Caras”.

O juiz Adilson Paukoski Simoni, do 5º Tribunal do Júri da capital, tomou a decisão de transformar Elize em ré no processo criminal em que está sendo acusada pela Polícia Civil e pela promotoria de assassinar e esquartejar o marido e executivo Marcos Matsunaga, de 41 anos.

Com isso, o magistrado transformou ainda a prisão temporária de Elize, em prisão em preventiva, até o julgamento julgamento). Por esse motivo ela foi encaminhada até a penitenciária no interior de São Paulo.

A regra para que uma pessoa que dê entrada em qualquer uma das 149 prisões que existem no Estado de São Paulo, é ficar em regime de prova nos próximos dez dias. Sendo assim, durante esse período Elize só poderá receber visita de seus advogados.

Em Tremembé, ela será vizinha de detentas como a ex-estudante de direito Suzane von Richthofen, que foi condenada a 38 anos de prisão por ter matado seus pais, e Anna Carolina Jatobá, condenada por matar sua enteada, Isabella Nardoni, de apenas cinco anos.