Publicado em: sábado, 25/02/2012

Caso Mércia – Mizael se entrega após mais de um ano foragido

Mizael Bispo de Souza, o advogado e policial militar aposentado acusado de matar a advogada Mércia Nakashima, se entregou nesta sexta-feira (24) no Fórum de Guarulhos, na Grande São Paulo. Ele estava sendo procurado desde o dia sete de dezembro de 2010 e sua rendição foi negociada através de um acordo entre o advogado de Mizael e a Justiça. Por ter curso superior, o acusado tem direito à prisão especial e por isso ficará em uma cela isolada no presídio militar Romão Gomes, Zona Norte da capital paulista.

De acordo com a polícia, Mércia teria morrido no dia 23 de maio de 2010, quando sumiu da casa dos avós em Guarulhos. Após 19 dias desaparecida, a advogada foi encontrada morta em uma represa, localizada em Nazaré Paulista, interior de São Paulo. Na época, um pescador afirmou ter visto o carro de Mércia entrar na represa e logo depois um homem não identificado deixar o veículo, seguido de gritos de mulher. O carro tinha sido achado submerso um dia antes do corpo da advogada ser encontrado.

Segundo a perícia, Mércia foi agredida e baleada, chegou a desmaiar, e morreu afogada, pois não sabia nadar. Mizael, que era ex-namorado da vítima, foi acusado de ter cometido o crime porque não aceitava o fim do relacionamento. O vigia Evandro Bezerra da Silva, também é acusado de ter participado, porém continua está foragido.

No dia 17 de fevereiro o Supremo Tribunal Federal negou o pedido da defesa de Mizael para que o processo fosse suspenso até que seja decidido se o julgamento acontecerá em Guarulhos ou em Nazaré Paulista. Com a decisão liminar (provisória), o caso continuará correndo em Guarulhos.

O que a defesa alega é que pelo fato de Mércia ter morrido por afogamento na represa em Nazaré Paulista, o processo deveria ocorrer na cidade. Além disso, argumenta também que o caso gerou uma comoção popular muito grande e se o julgamento acontecer em Guarulhos traria muito prejuízo ao acusado.