Publicado em: sexta-feira, 17/02/2012

Caso Eloá: Lindemberg é condenado a 98 anos e dez meses de prisão

Quase cem anos de prisão. Foi essa a sentença declarada pela juíza Milena Dias no quarto e último dia de julgamento de Lindemberg Alves, condenado por matar sua ex-namorada Eloá Pimentel, além de outros 11 crimes, em 2008. O anúncio aconteceu no inicio da noite da última quinta-feira (16) no Fórum de Santo André, ABC Paulista.

De acordo com a sentença da juíza, os crimes praticados pelo réu chegaram ao grau máximo que a violação da lei penal pode atingir. Ela acrescentou ainda que o acusado agiu com frieza e de forma premeditada em razão de seu orgulho e egoísmo. “Além de eliminar a vida de uma jovem de 15 anos de idade e de quase matar Nayara e o bravo policial militar, o réu causou enorme transtorno para a comunidade e para o próprio estado, que mobilizou grande aparato policial para tentar demovê-lo da sua bárbara e cruel intenção criminosa”, continuou a juíza.

A soma das penas individuais dos 12 crimes pelos quais o ex-motoboy foi condenado é de 98 anos e dez meses de prisão. Ao todo foram cinco condenações por cárcere privado, sendo eles o de Eloá, o dos amigos Vitor e Iago e Nayara por duas vezes, pois ela chegou a ser libertada, mas devido às negociações, acabou feita refém novamente.

Lindemberg também foi condenado por quatro disparos a esmo com arma de fogo, sendo um deles da janela do apartamento onde estava com a vítima. Ele ainda foi considerado culpado por duas tentativas de homicídio, uma contra Nayara, ferida com um tiro no rosto, e outra contra Atos Valeriano, policial que invadiu a cena do crime. Como o porte da arma que o réu utilizou era ilegal, existe a possibilidade da promotoria pedir também que ele responda por mais este crime.

Por fim, Lindemberg foi condenado por homicídio doloso duplamente qualificado, com motivação banal, tendo pena máxima de 30 anos de prisão. No geral, a soma de todas as penas máximas previstas para os crimes cometidos pelo acusado, seria bem maior que os 98 anos e dez meses, entretanto a juíza reduziu a pena porque, entre outras coisas, Lindemberg confessou ter atirado contra a ex-namorada.

Ana Lúcia Assad, advogada de defesa, afirmou que vai pedir a anulação do julgamento. Lindemberg foi encaminhado de volta para o Presídio de Tremembé, interior de São Paulo, onde passou os últimos três anos e onde deve cumprir a pena que lhe foi determinada.