Publicado em: sexta-feira, 17/02/2012

Caso Eloá: advogada de Lindemberg pedirá a anulação do júri

Nesta quinta-feira (16), Lindemberg Alves foi condenado a mais 98 anos e dez meses de prisão por matar sua ex-namorada Eloá Pimentel, além de cometer outros 11 crimes. Porém, Ana Lúcia Assad, advogada de defesa do réu, afirma que foram cometidas “nulidades” no processo e por isso entrará com um pedido de anulação do julgamento.

Ela tem até cinco dias para fazer o pedido ao Tribunal de Justiça. Entretanto, a promotora do caso, Daniela Hashmoto, não acredita na anulação do júri, que foi composto por uma mulher e seis homens, que consideraram que houve intenção por parte de Lindemberg de matar a estudante Elóa.

O principal argumento da defesa era de que o condenado era apaixonado pela ex-namorada e não premeditou matá-la. A advogada havia pedido que ele fosse condenado apenas foi homicídio culposo (quando não há a intenção de matar). “Ele não é marginal ou um criminoso. […] Ele confessou que atirou em Eloá. Lindemberg é apaixonado por Eloá. Foi o grande e único amor da vida dele”, ressaltou Ana Lucia, que completou dizendo que ele ainda sofre pela morte da ex-namorada.

A defensora garantiu que o temperamento genioso e explosivo de Eloá contribuiu para deixar a situação pior do que estava. “Ele errou, mas não errou sozinho”, disse ao afirmar também que Lindemberg se assustou com o barulho da porta causado pela invasão da policia, e por isso atirou. Para a advogada, o réu deve sim responder pelo crime de cárcere privado contra Elóa, mas que Nayara teria voltado ao apartamento porque quis.