Publicado em: segunda-feira, 30/04/2012

Casal brasileiro que morreu no México teria desviado de trilha durante mergulho

A médica Renata Quirino e o engenheiro José Brugnaro Neto, o casal que morreu no México enquanto realizavam um mergulho, saíram da trilha recomendada durante o passeio. O caso ocorreu em uma caverna na cidade de Playa del Carmen, já há quase duas semana, mas a família só foi notificada nesta última semana.

A mãe de Renata conta que pediu para seu filho que enviasse uma mensagem para a irmã, pedindo que entrasse urgente em contato porque já havia algum tempo que a médica não dava notícias.

O casal contratou um guia de mergulho, Ismael Garcia Manzanares, que fazia trabalhos temporários para uma agência. Por debaixo da terra existem alguns acessos (cenotes), que permitem a passagem da luz e levam para um outro local. Após vários mergulhos em lugares diferentes, no final da tarde do dia 19 de abril, José e Renata fizeram o último mergulho do dia, no cenote de Chac Mool.

Os dois desceram por volta das 16h e deveriam voltar até às 17h30. O diretor da agência de mergulho, Álvaro Alamada, pediu para um funcionário ir até o cenote. Disseram que o casal já estaria voltando, mas como ninguém apareceu ele mesmo foi até o local.

O serviço de resgate foi chamado e depois de quatro mergulhos, os turistas e o instrutor foram encontrados mortos. Chac Mool foi fechado para o público. Uma das principais instruções é ficar ao lado da linha. A cada 60 metros, existe sempre uma saída e devido a isso não é exigido que os mergulhadores passem por um treinamento especial.

Após quarenta minutos de mergulho existe um largo túnel para onde não se pode ir, Há uma linha amarela para ser seguida, mas Renata, José e o guia espanhol não fizeram isto. Deveriam ter saído por onde entraram, mas resolveram ir por uma caverna e se perderam. É a primeira vez que alguém morre ali.