Publicado em: sexta-feira, 07/06/2013

Casa Branca admite monitorar aparelhos da operadora Verizon

Casa Branca admite monitorar aparelhos da operadora VerizonA Casa Branca reconheceu durante esta quinta-feira (6) que esteve monitorando milhões de clientes tanto de telefonia fixa quanto móvel da operadora Verizon, que é a segunda maior dos Estados Unidos. O governo justificou esta ação apontando que esta pode ser uma ferramenta que tenha muita importância para que proteja o país de ameaças de terroristas.

Este reconhecimento ocorreu algumas horas depois de o jornal britânico Guardian apontar que a Justiça norte-americana havia emitido uma ordem confidencial, devido a um pedido da Agência Nacional de Segurança, em que pedia que ligações de diversos usuários da Verizon passassem por monitoramento.

Esta revelação deve fazer com que hajam novas críticas para o presidente Barack Obama, que no mês de maio já havia reconhecido o grampeamento de telefones da agência de notícias Associated Press. Durante o período, Obama disse que a intenção era que evitasse que soldados americanos fossem mortos em um ataque terrorista na região do Iêmen.

O governo norte-americano também está sendo acusado de ter ordenado que a Receita Federal fizesse o monitoramento das movimentações financeiras de membros do partido ultraconservador republicano que é denominado como Tea Party. Esta revelação fez que o chefe Lois Lerner do órgão fiscal, fosse demitido.

Conforme aponta o Guardian, esta ordem foi realizada por um tribunal especial de serviços corporativos tanto da telefonia fixa quanto móvel da operadora Verizon. Nas exigências, estão presentes relatórios diários de ligações de clientes da operadora que forem realizados entre os dias 25 de abril e 19 de julho de 2013.

Esta publicação afirma que os documentos requisitados apontam a localização, o horário exato, a duração da chamada e a quantidade de telefonemas locais, interurbanos e também internacionais realizados. A Verizon também foi obrigada a manter segredo sobre esta decisão judicial, que não aponta o nome da operadora.

Ainda não há informações do que a Agência Nacional de Segurança e o FBI fizeram com estes registros e a Verizon não comentou este incidente.