Publicado em: sexta-feira, 21/03/2014

Carne bovina tem recordes de elevação em São Paulo

Carne bovina tem recordes de elevação em São PauloO preço da arroba bovina no Estado de São Paulo, que é referência para o mercado nacional, já acumula alta de 10% em 2014, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). O valor da arroba está em 126,28 reais (valor cotado no fechamento da última quarta-feira, 20), registrando o maior preço nominal, que não leva em conta a inflação do período, na série histórica do Cepea, que começou a ser registrada em 1997.

Esta alta acumulada também figura entre as mais fortes para o período histórico, perdendo apenas para a registrada pelo Cepea em 1999, quando o indicador Esalq/BM&FBovespa chegou a 11,3%. O que tem motivado a elevação nos preços é a pequena oferta de gado de corte, reflexo da seca atípica na região centro-sul no início do ano, que afetou a recuperação das pastagens, e que atrasou a chegada do boi da safra.

Levando em conta o valor da inflação, a arroba fica em R$ 123,14, preço mais alto desde dezembro de 2010, quando a arroba ficou cotada em R$ 124,33. O aumento acumulado do ano é equivalente a quase metade da variação registrada em todo o ano passado, que foi de 18,7%, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada.

Alta no mercado nacional

Os preços da carne bovina e do bezerro também registram aumento recorde no mercado brasileiro. Segundo o centro de pesquisas, o beerro nelore, de 8 a 12 meses, teve alta de 11,51% registrada no Indicador ESALQ/BM&FBovespa, encerrando a última quinta-feira a R$ 979,05, maior patamar nominal desde 2000, quando começou a série histórica do Cepea. Considerando a inflação, o valor médio parcial ficou em 922,76 reais, o mais alto desde junho de 2010.

Já a carne com osso na Grande São Paulo subiu 6,05%, chegando a R$ 8,24 por quilo, sendo este o maior patamar nominal da série do Cepea, iniciada em 2001. Com a inflação, a média de valores em março ficou em R$ 8,13 por quilo, a maior desde novembro de 2010. Porém, segundo o Cepea, esta alta deve perder força nos próximos meses, graças à chegada do boi da safra.