Publicado em: quarta-feira, 22/02/2012

Carnaval 2012 – Apuração em São Paulo é interrompida por invasão e depredação

Carnaval 2012 – Apuração em São Paulo é interrompida por invasão e depredaçãoUm quebra-quebra generalizado interrompeu a apuração do carnaval de São Paulo, que aconteceu na tarde desta sexta-feira (21) no sambódromo do Anhembi. O tumulto começou com a invasão de um integrante da escola Império de Casa Verde, que correu até o local onde as notas estavam sendo lidas e rasgou os envelopes. Eram as últimas notas do último quesito, comissão de frente.

Além de impossibilidade de continuar a leitura dos pontos, torcedores ligados à escola Gaviões da Fiel atiraram objetos nos organizadores, derrubaram grades, invadiram o espaço restrito e incendiaram carros alegóricos que estavam na dispersão. Parte dos torcedores saiu do Anhembi e se dirigiu à Marginal Tiête, interditando a pista. Eles também destruíram placas que separavam o sambódromo da Marginal.

No momento em que a confusão começou, a Mocidade Alegre liderava a disputa, seguida pela Rosas de Ouro, Vai-Vai, Mancha Verde e Unidos de Vila Maria. A líder, que havia atingido nota máxima em todos os quesitos até então, precisava apenas de mais uma nota dez para se sagrar campeã.

O homem que rasgou as cédulas contendo as notas do desfile foi detido pela Policia Militar, assim como um integrante da Gaviões da Fiel. Além deles, mais três pessoas foram presas por causar tumulto e portar entorpecentes.

Paulo Sérgio Ferreira, presidente da Liga das Escolas de Samba, declarou que o problema é ter escola que não sabe perder. “O jogo é jogado, a regra é clara. A escola vem na avenida, canta o samba errado e depois quer tirar o julgador de samba-enredo”, afirmou. De acordo com o regulamento da Liga, qualquer membro ou dirigente com comportamento inadequado na concentração, dispersão, desfile ou apuração, terá sua escola eliminada da disputa e expulsa da Liga das Escolas de Samba.