Publicado em: sábado, 21/01/2012

Capitão do Costa Concordia teria pedido jantar depois do acidente, afirma cozinheiro

O capitão do navio Costa Concordia, Francesco Schettino, que trombou contra formações rochosas na última sexta-feira (13), teria pedido jantar para ele e uma mulher depois que o acidente já havia acontecido, de acordo com um dos cozinheiros, Rogelio Barista. Em entrevista à emissora filipina GMA, Barista afirmou que o pedido do capitão foi registrado por volta das 22h30, sendo que o acidente aconteceu às 21h41, de acordo com o registro das autoridades.

De acordo com a rede de notícias CNN, o cozinheiro declarou “as coisas na cozinha estavam caindo das prateleiras. Tenho 12 anos de experiência como cozinheiro de cruzeiros e já vi incêndios, então não me assustei. Mas pensei: ‘O que o capitão está fazendo? Por que ele ainda está ali?’”. O capitão jantava com a moldávia Dominika Cermortan, de 25 anos, que, de acordo com a Costa Cruzeiros, empresa dona do Costa Concordia, embarcou na mesma sexta-feira.

A loira que jantava com o capitão negou ser sua amante. “Ele sempre mostra a foto de sua filha quando era pequena. Um homem que procura uma amante não se comporta assim”, afirmou Dominika ao jornal italiano Corriere della Sera. Depois do primeiro depoimento prestado à justiça italiana, Schettino foi condenado à prisão domiciliar.

A pena foi concedida enquanto Schettino não responde às acusações de homicídio múltiplo, naufrágio e abandono de navio. De acordo com o capitão, ele não fugiu do barco, mas foi jogado para fora do navio em algum momento após o acidente. Schettino defende que não teria como retornar ao navio depois de ter deixado a embarcação.