Publicado em: quinta-feira, 20/02/2014

Candy Crush Saga vai para a Bolsa de Valores de Nova Iorque

Candy Crush Saga vai para a Bolsa de Valores O estúdio King Digital Entertainment anunciou que pretende ter ações vendidas na Bolsa de Valores de Nova Iorque. O pedido foi feito após a receita do criador do game “Candy Crush Saga” ter aumentado mais de dez vezes no ano passado, atingindo US$1,9 bilhão, contra os US$ 164 milhões de 2012. O lucro líquido da empresa foi de US$ 567,6 milhões.

O número de ações propostas e seu preço ainda não foram determinados. Além do carro-chefe da companhia, que tem 93 milhões de usuários e é jogado mais de um bilhão de vezes por dia, o estúdio tem ainda outros cinco jogos dispositivos móveis, mas nenhum tem uma popularidade sequer aproximada à de CCS.

O objetivo dos empresários é capitalizar o sucesso de Candy Crush e dos demais produtos da companhia com franquias sustentáveis. Para isso, o ingresso na bolsa de valores garantiria maior flexibilidade ao estúdio para ampliar o número de oportunidades que possam surgir.

Jogo para smartphone é pré-requisito para vaga de emprego

Uma empresa chinesa que desenvolve jogos vai avaliar quais profissionais contratar pelo rendimento dos candidatos no game “Flappy Bird”. Para ter sucesso na disputa pela oportunidade, a companhia pede que as pessoas joguem o popular e polêmico game por 20 minutos.

Não foi especificado se precisa ser sem morrer ou apenas brincar no aplicativo pelo tempo exigido independente da distância percorrida. Caso nesses 20 minutos o candidato só tenha uma chance, a tarefa será complicada devido ao nível de dificuldade do jogo. O motivo da exigência também não foi explicado pela empresa. A única justificativa dada até o momento é que o jogo ajudou a chamar atenção para a vaga, além de auxiliar na identificação da personalidade dos interessados na oportunidade de emprego.