Publicado em: sexta-feira, 07/02/2014

Candidatos ampliam participação na internet

Participação na internet de candidatosEm dezembro de 2013, dados comprovaram que 58,2 milhões de brasileiros possuem acesso à internet, quer seja em suas residências ou locais de trabalho. Desse total, 45 milhões de usuários também participam de redes sociais. Mas esse número pode ser ainda maior, uma vez que existem pessoas que acessam a internet por outras vias e por meio de dispositivos móveis.

Embora a campanha eleitoral só comece oficialmente na rede no dia 6 de julho, muitos partidos e pré-candidatos estão aumentando suas participações nas redes sociais, buscando conquistar esses eleitores internautas ao estabelecer uma relação mais próxima e participativa, com esperança de que o resultado apareça nas urnas, daqui oito meses.

Lição dos protestos

Em junho do passado milhões de brasileiros foram às ruas protestar a partir de uma discussão que tomou forma e se organizou dentro dessas mídias virtuais. Foi então que se percebeu o poder crescente que essas plataformas exercem na sociedade brasileira. Em número de usuários o Brasil só perde para os Estados Unidos, tendo o segundo maior número de participantes no mundo tanto no Twitter como no Facebook.

Foi aí que Dilma se surpreendeu, uma vez que pouco depois da eleição de 2010, deixou de se comunicar virtualmente com os eleitores. A popularidade do seu governo baixou dezenas de pontos e ela começou a agir sistematicamente nas redes desde setembro passado. Voltou a ativar perfil no Twitter, onde tem mais de 2 milhões de seguidores, e no Facebook, em que posta diariamente. A presidenta também abriu contas no Vine e Instagram e lançou o Gabinete Digital e o Participatório, formas de medir as discussões nas redes e se aproximar dos internautas.

(Com informações da BBC)