Publicado em: sábado, 25/05/2013

Candidata virtual enfrenta aiatolás no Irã, representando opositores ao ultraconservadorismo

Candidata virtual enfrenta aiatolás no Irã, representando opositores ao ultraconservadorismoCartunistas do país que proíbe eleição de mulheres criam uma personagem heroína, vhamada Zahra, que se torna candidata a Presidência do Irã Terceiro.

A história é que no meio das 30 mulheres barradas na semana passada de se candidatar na à Presidência do Irã, estava a corajosa Zahra, que é professora e poeta, mora no Teerã e é experiente com as demandas da vida e do país, afinal ela tem 52 anos. Quando ela soube que não poderia concorrer com sua candidatura, corajosamente ela enfrenta o órgão que é responsável pelo veto das mulheres candidatas, chamado de Conselho dos Guardiões. Ela coloca o dedo na cara de todos eles.

As mulheres no Irã foram realmente impedidas, em cima da hora, de disputar a presidência de seu próprio país. As acusações da heroína do Irã a todos os 12 clérigos ultraconservadores foi intensa e valente, ela disse com seu dedo em riste:

Onde estão suas credenciais? Sua autoridade? Vocês não têm autoridade para decidir nada. A era de um homem e uma verdade acabaram no Irã. Há toda uma nova geração disposta a transformar o Irã numa sociedade justa, igualitária e democrática!

Óbvio que essa história não é verdadeira, mas no universo da ficção em literatura em quadrinhos, elas tem liberdade para tudo. A cena e dizeres desafiadores provenientes de uma mulher iraniana, simples, em confronto com um número de velhos senhores sisudos clérigos ultraconservadores saiu da cabeça de Amir Soltani. Ele é um dos criadores desta personagem, uma heroína dos quadrinhos com o nome de “O Paraíso de Zahra”, da editora LeYa e lançado no Brasil ano passado.

Autor exilado se expressa contra conservadores

Soltani vive exilado nos Estados Unidos e de lá ele afirma que Zahra continua, com sua campanha e valentia buscando representar a força das mulheres iranianas para um país melhor. Zahra fala protesta e dá voz em nome de diversos iranianos, e em muitas redes sociais e outros lugares do world wide web.