Publicado em: terça-feira, 11/03/2014

Camponeses tomam o entorno do Ministério do Desenvolvimento Agrário em manifestação pacífica

Camponeses tomam o entorno do Ministério do Desenvolvimento Agrário em manifestação pacíficaIntegrantes do Movimento Camponês Popular estão reunidos em frente ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), em Brasília, onde protestam por melhores condições de trabalho no campo. A manifestação ocorre de forma pacífica, e faz parte da Jornada de Luta em Defesa da Produção de Alimentos Saudáveis e pelos Direitos das Mulheres Camponesas, que segue até esta quarta-feira (12).

De acordo com a Polícia Militar, 500 pessoas estão na Esplanada do Ministério, dado contestado pelos organizadores do evento, que garantem pelo menos 2 mil manifestantes. Eles chegaram ao prédio do MDA por volta das 5h de hoje, e montaram aproximadamente 200 barracas no estacionamento e nas portarias. A entrada dos funcionários não foi impedida, e acontece pela garagem do ministério.

Na pauta dos camponeses está a dependência cada vez maior de o país importar alimentos básicos, enquanto investe muito pesado na exportação da soja e outras commodities, o que consideram um desequilíbrio errado. Eles ainda reivindicam um maior cuidado com a agrobiodiversidade e mais respeito à identidade da população do campo.

Burocracia é entrave

Outro ponto abordado pelos manifestantes é o Plano Safra que, segundo o grupo, não atende aos pequenos agricultores mesmo estando voltado a essa fatia da população. A burocracia excessiva e a falta de assistência técnica são os fatores reclamados pelos camponeses, que afirmam ter dificuldades para acessar o benefício. Há ainda o pedido por mais repasses para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e para o Programa Nacional de Habitação Rural.

Esta jornada, segundo líderes nacionais do movimento, acontece anualmente nesta época, para aproveitar a comemoração do Dia Internacional da Mulher, e serve como um momento para que os camponeses demonstrem sua insatisfação e reivindiquem seus direitos. A expectativa do Movimento Camponês Popular é mobilizar pelo menos 3 mil pessoas de Goiás, do Piauí e da Bahia até o fim do dia.