Publicado em: sexta-feira, 31/01/2014

Campanha pretende desvencilhar a ideia de gastos em vão para a Copa do Mundo de 2014

A famigerada Copa do Mundo de 2014Em 2014 o Brasil recebe a Copa do Mundo, um dos maiores eventos esportivos do mundo que é disputado por diversos países para sediar os jogos. Neste ano é a vez do Brasil, o país do futebol. Mas será que a população concorda com tal afirmação?
O governo está se vendo assombrado pelas inúmeras críticas aos gastos envolvendo a construção de estádios e dinheiro público. Além, da ameaça de possíveis manifestantes acabarem com a festa durante a época dos jogos.

Um projeto de comunicação pretende mudar a visão do brasileiro em relação à Copa. A investida do governo é desvencilhar a ideia de gastos relevantes voltados para obras e tiradas de um possível fundo à saúde. Ainda ocorre em sigilo o planejamento para esta ação.

Pelé, o astro do futebol brasileiro, também comentou sobre o assunto em uma entrevista. O ex- jogador falou sobre a polêmica envolvendo os movimentos populares no país e a Copa do Mundo, falou ainda de uma declaração sua que exclui a relação entre o evento esportivo e a corrupção política no Brasil. Para Pelé, as ondas de manifestações devem ser voltadas para a política e não para o esporte que enaltece o país e que atrairá muitos turistas para a festa da Copa e por consequência benefícios virão com o evento. O rei do futebol pediu uma trégua para os manifestantes, falou que após a Copa é possível sair às ruas e reivindicar por direitos e deveres dos representantes políticos.

Vale lembrar que tanto a atitude do governo Dilma e a declaração de Pelé, são referência aos atos de manifestantes que no ano passado levou às ruas mais de mil e quinhentos manifestantes que durante a Copa das Confederações trancavam ruas e saídas de estádios para que fossem vistos pelas câmeras das emissoras que transmitiam os jogos. O ato põe medo no governo, a popularidade da presidente Dilma teve uma queda significativa após as manifestações.