Publicado em: sexta-feira, 25/05/2012

Campanha foi prorrogada até dia 1º e Padilha pede para pessoas se imunizarem

Hoje seria o último dia de vacinação, mas o ministério da Saúde resolveu estender a campanha até o dia 1º de junho. A campanha é direcionada para maiores de 60 anos, crianças até dois anos, gestantes e para a população indígena. Segundo Alexandre Padilha, ministro da Saúde, é possível perceber a diminuição do número de mortes provocadas pela gripe no ano passado em relação a 2010. No entanto, essa diminuição de casos pode ter tido efeito contrário e influenciado para que as pessoas não fossem tomar a vacina. O governo ainda não conseguiu, por exemplo, atingir 80% do público-alvo da campanha. Essa avaliação feita pelo ministro ocorreu no Senado, na tarde de ontem.

Apenas 52,4% do público-alvo tomaram as vacinas

Dados atualizados ontem pela manhã mostram que até a manhã desta quinta-feira, apenas 15,8 milhões de pessoas haviam recebido a vacina. Esse número representa apenas 52,4% do público-alvo, o que está muito longe do estimado pelo governo de alcançar 80%. Em 2009 quando ocorreu a pandemia, assim como em 2010, o volume de pessoas que receberam a vacina foi bem mais alto. Os óbitos foram reduzidos significativamente. No entanto, Padilha argumentou que isso fez com que a população não retornasse este ano para as unidades de saúde.

O ministro enfatizou que a prorrogação tem por objetivo reforçar que a vacina é segura e que os óbitos reduziram em 66% em função dela em 2011. O ministro disse que a vacina previne da gripe e reduz os óbitos em decorrência da doença. Nesta campanha o público alvo também foi estendido para as gestantes, as crianças e aqueles que trabalham em áreas de risco da doença. Em função disso e do possível desconhecimento da população, o governo achou que seria importante estender a campanha para mais uma semana.