Publicado em: sábado, 27/08/2011

Campanha contra paralisia infantil de 2012 deve usar vacina injetável

O Ministério da Saúde informou que espera que para a próxima campanha de vacinação contra a poliomielite, a vacina oral, a Sabin, seja substituída pela forma injetável. Segundo o Ministério, este método é mais seguro, já que a produção da vacina é feita a partir do vírus morto ou inativo.

Porém, não foi divulgado um prazo para que acontece a transição, já que o Ministério realizou apenas um informe técnico diretamente as secretaras estaduais de Saúde, orientando para a possível mudança no próximo ano. O documento aproveitar para recomentar novas ações para intensificar a imunização, garantindo assim a cobertura de pelo menos 95% do público alvo e ainda um novo cronograma de estratégias para o segundo semestre de 2011.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunizações, ela já havia recomentado que a vacina injetável fosse utilizado, já que todos os países desenvolvidos realizaram a mudança. Porém, especialistas continuam a acreditar que a vacina oral é bastante benéfica as crianças.

A vacina do tipo oral é produzida a partir do vírus atenuando. Apesar de ser raro, existe o risco que a criança imunizada tenha um reação infecciona pelo vírus, provocando assim a poliomielite vacinal. A vacina injetável ja pode ser encontrada em algumas clínicas particulares.