Publicado em: sexta-feira, 12/08/2011

Cameron reconhece que polícia reagiu de forma inadequada durante as manifestações

Em audiência com o Parlamento nessa quinta-feira (11), o primeiro-ministro britânico, David Cameron, reconheceu que a atitude da polícia perante os tumultos que tomaram conta da capital britânica, a cidade de Londres, foi lenta e equivocada. Para Cameron, o principal problema na atuação da polícia foi enfrentar a crise como um caso de desordem pública, ao invés de pura criminalidade. As manifestações de violência duraram quatro noites consecutivas.

Durante seu discurso no Parlamento, Cameron afirmou “no início o número de policiais nas ruas foi muito pequeno e suas táticas não funcionaram.” Sobre quais teriam sido os motivos que impulsionaram parte da população para se juntarem à onda de violência, o premiê defende que “há um enorme problema em nossa sociedade com as crianças crescendo sem saber a diferença entre certo e errado. Não é questão de pobreza, é questão de cultura. Uma cultura que glorifica a violência, que mostra desrespeito à autoridade e que diz tudo sobre direitos, mas nada sobre deveres.”

Além disso, o primeiro-ministro falou que acha “ridícula” a hipótese de que os saques, vandalismos, entre outras atitudes que puderam ser vistas nessa última semana, estejam relacionadas com a morte de Mark Duggan. Teoricamente, os rebeldes estaria manifestando pela morte do rapaz, que aconteceu durante um tiroteio com a polícia britânica.

De acordo com o premiê, o caso está sendo investigado, mas ele acredita que a morte tem sido “explorada por ladrões oportunistas”. O tiroteio aconteceu na última quinta-feira (04) no bairro de Tottenham, o qual fica localizado em Londres.