Publicado em: sexta-feira, 09/03/2012

Câmera registra abraço e beijo entre suspeitos de arrastão na Vila Madalena

De acordo com a Polícia Civil, a quadrilha identificada em imagens do circuito interno de segurança, é a responsável por ter feito a maioria dos arrastões que aconteceram em prédios em São Paulo durante este ano também. As cenas foram registradas no dia 13 de fevereiro um prédio na Vila Olímpia, Zona Sul da capital paulista, prédio que voltou a ser invadido na madrugada desta quinta-feira (8).

Depois de render o porteiro, dois dos cinco homens suspeitos, entram no elevador e se abraçam assim que a porta é fechada. Um deles chega a beijar o rosto do outro. Na ocasião, os ladrões não entraram nenhum apartamento, roubaram somente um dos carros guardados na garagem. Entretanto, quando voltaram a invadir o local, levaram dinheiro, joias e carros dos moradores.

Segundo o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), a quadrilha realizou também arrastões em prédios nos bairros de Higienópolis, Vila Madalena e Itaim Bibi. “Também temos quase certeza de que eles participaram de outro roubo na Rua General Jardim”, informou Mauro Facchini, delegado responsável pelo caso. Apenas em 2012 já foram registrados seis crimes como esse na cidade de São Paulo.

Três dos cinco integrantes do grupo que aparecem no vídeo já estão presos. Os dois suspeitos que estão se abraçando no vídeo foram encontrados após a última invasão ocorrida no prédio da Vila Olímpia na madrugada de ontem. Eles estavam em um hotel no centro da cidade. “Eles estavam comemorando o roubo usando drogas e consumindo bebidas”, contou o delegado.

Já um outro detido foi preso assim que deixou o local do roubo, após uma perseguição policial. Ao ser levado até a sede do Deic, ele foi reconhecido como um dos membros da quadrilha especialista em arrastões. Em seguida, ele acompanhou os policiais até o local onde estavam os seus dois colegas. Quando ficou sozinho com um investigador no carro, o assaltante conseguiu escapar. “Ele fez como contorcionista: conseguiu passar os braços algemados por baixo das pernas e tentou estrangular o investigador”, contou o delegado.

Apesar dos pedidos de reforços, o suspeito não foi encontrado. Ao todo, a polícia encontrou com os detidos um dos carros roubados, joias e cerca de R$ 6 mil em dinheiro, além de uma pistola 9 mm. Os suspeitos que estão presos deverão responder por roubo e formação de quadrilha.