Publicado em: terça-feira, 30/08/2011

Câmara dos Deputados deve votar hoje o caso de Jaqueline Roriz

A Câmara dos Deputados analisa nesta terça-feira (30) o processo que visa cassar o mandato da da deputada federal Jaqueline Roriz (PMN-DF). A acusada foi filmada recebendo de Durval Barbosa, delator do mensalão do DEM. Ao mesmo tempo em que protestos contra a absolvição da deputada federal acontecem durante o dia da votação, Jaqueline pretende convencer a Câmara alegando que os fatos aconteceram antes do seu mandato de deputada.

Especula-se que a deputava federal vá ler um discurso de 15 páginas redigido por ela, no qual sustenta a tese de que não há como ser julgada pela quebra de decoro parlamentar se naquela época, em 2006, ela não ocupava seu atual cargo, o qual está em risco de ser cassado. Além disso, Jaqueline nega qualquer envolvimento no escândaldo do mensalão do DEM e também afirma que sofreu constrangimentos com a acusação, pois foi acusada de ter fingido estar doente para fugir das denúncias.

Ao mesmo tempo, o relator do caso de Jaqueline, o tucano Carlos Sampaio (SP), afirmou que vai realizar um discurso antes de dar seu voto para tranquilizar seus colegas. Sampaio deve afirmar que o seu julgamento não vai abrir brechas para que outros parlamentares possam ser punidos por ocasiões anteriores aos seus mandatos.

Sampaio também defende que Jaqueline pode, de fato, ser julgada pela publicação do vídeo que a incrimina ter sido feita durante seu atual mandato. Mesmo sendo gravado em 2006, o vídeo foi divulgado em março deste ano. O relator pretende usar afirmações lançadas pela própria Jaqueline em outros momentos, os quais fazem com que ela caia em contradição com o seu atual discurso.