Publicado em: quarta-feira, 24/08/2011

Cálculo prevê existência de 8,7 milhões de espécies de seres vivos na Terra

Estudo publicado na revista científica PLoS Biology mostra que a Terra tem mais cerca de 8,7 milhões de espécies existentes. A nova estimativa foi considerada como uma das mais precisas já feitas até o momento, sendo que considera inclusive os seres vivos que ainda não foram catalogados. O estudo explica que a maioria das espécies ainda não foi identificada e que a catalogação pode ser um processo que demore mais de mil anos.

Em um comentário publicado na mesma revista, o ex-presidente da Sociedade Real britânica, Robert May, escreveu que “é uma indicação notável do narcisismo da humanidade que saibamos que o número de livros na Biblioteca do Congresso americano no dia 1º de fevereiro de 2011 era 22.194.656, mas que não podemos dizer – dentro de uma ordem de magnitude – com quantas espécies de plantas e animais nós divimos o mundo.”

Para tentar justificar o método usado para chegar ao número final de espécies existentes dos seres vivos, os cientistas do estudo explicam que fizeram as contas com base na relação entre as espécies e os grupos mais amplos de acordo com qual cada uma pertence. Com isso, o resultado é basicamente uma previsão da diversidade existente na Terra.

Como argumento para garantir a confiabilidade do método usado, os cientistas testaram o mesmo cálculo com grupos que já estão fechados, como mamíferos, peixes e pássaros, e a previsão chegou ao mesmo resultado daquele catalogado. A margem de erro para a previsão de 8,7 milhões de espécies pode variar um milhão para mais ou para menos.