Publicado em: quarta-feira, 21/09/2011

Caixa Econômica Federal retira campanha publicitária

Para comemorar aos 150 anos da empresa, a Caixa Econômica Federal providenciou uma campanha publicitária que viajava no tempo e retrata o escritor Machado de Assis. Porém, a campanha representa o fundador da Academia Brasileira de Letras como se fosse uma pessoa branca (o ator que faz Machado de Assis é branco), sendo que ele era mulato.

Assim, o banco suspendeu a veiculação do material após protestos realizados pela internet e o pedido formal da Seppir (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial) – órgão do governo federal. No comercial, o autor de “Memórias Póstumas de Brás Cubas” é um dos correntistas do banco público, que é tão antigo e possui tanto prestígio que até mesmo Machado de Assis poderia utilizá-lo.

A Caixa Econômica Federal, em comunicado oficial onde divulga a suspensão da campanha publicitária, pede desculpas a toda sociedade e, de maneira especial, aos movimentos relacionados às causas raciais, por ter descaracterizado Machado de Assis, e não tê-lo apresentado como um afro-brasileiro.

Também em nota oficial, nesta segunda-feira, dia 20 de setembro, a Seppir disse que o recurso publicitário de utilizar um ator branco para interpretar o escritor não foi adequado. Segundo a Seppir, isso não contribui para a visibilidade do afro-brasileiro e também distorce características coletivas e pessoais de Machado de Assis que são fundamentais para o entendimento de sua obra literária.