Publicado em: quinta-feira, 02/08/2012

Cachorro que inspirou obra de Saramago morre em Lanzarote

Cachorro que inspirou obra de Saramago morre em LanzaroteNesta quinta-feira (2), o cachorro Camões, que inspirou a obra “A caverna” de José Saramago, morreu em Lanzarote. A morte do animal foi noticia da pela viúva do escritor, Pilar del Río, que divulgou um emocionado texto no endereço eletrônico da Fundação José Saramago. O título do texto é “Morreu Camões,o cão que inspirou Saramago”.

O cachorro chegou a casa do casal no mesmo período em que o escritor ficou sabendo que tinha recebido o Prêmio Camões, em 1995. O animal foi batizado em homenagem ao poeta português, Camões, e, segundo a viúva de Saramago, ele sofreu muito depois que o dono morreu, em 2010. Além de Camões, animal da raça”cão d’água”, mais dois cachorros moravam na casa em Lanzarote: Greta, uma Yorkshire, e Pepe, um poodle.

Chegada

Em fevereiro de 2009, Saramago escreveu em seu blog que quando o animal chegou àsua residência, muito se especulou sobre sua raça, e todos afirmaram que se tratava de um poodle. No entanto, ele foi o único que acreditou que Camões não tinha essa raça, mas era sim um cão d’água português. Em seu texto, o escritor contava sobre Camões e até mesmo fez uma brincadeira sobre a escolha de Barack Obama ao dar as filhas um cão d’água português. Saramago afirmou que novos tempos estavam se aproximando.

O cachorro foi a inspiração de José Saramago para desenvolver “O achado”. Este era um cão muito honrado da cada de Cipriano Algor, do romance “A caverna”, escrito em 2000. Em 2003, Saramago afirmou que ele encontra muito mais humanidade nestes animais do que nos homens e era por este motivo que os cachorros estavam presentes em muitas de suas obras.