Publicado em: quarta-feira, 02/05/2012

Brizola Neto, novo ministro do Trabalho afirma que o PDT “tende a marchar unido”

Depois de Dilma ter anunciado o nome do novo ministro do Trabalho na última segunda-feira, o escolhido da presidente, Brizola Neto (PDT), disse ontem que o PDT “tende a marchar pela unidade”.

Segundo o novo ministro, a questão principal neste momento é a unidade do partido, pois é necessário que o partido demonstre união. Brizola Neto disse ainda que não terá dificuldades para mostrar essa unidade do PDT, pois há mais questões de unidade do que de divergência entre os partidários. A declaração foi dada pelo ministro durante as comemorações do Primeiro de Maio em São Paulo.

O maior problema a ser enfrentado pela presidente Dilma e pelo próprio ministro do Trabalho é que segundo o partido, essa nomeação trata-se de “indicação pessoal”. Embora sua posse esteja marcada para a próxima quinta-feira, Brizola Neto ainda precisa dialogar com os membros do partido. Dilma disse que o novo ministro precisa unificar o PDT e segundo ele, isso será feito logo neste início, pois a unidade é fator fundamental para um partido. Brizola Neto disse ainda que a divergência também é um resultado normal de qualquer processo de escolha e que assim que isso for normalizado, o partido caminhará para a unidade.

PDT controla a pasta desde o governo Lula

A pasta foi comandada desde dezembro do ano passado por um ministro interino, em função do afastamento de Carlos Lupi por denúncias de corrupção. Paulo Roberto Santos Pinto esteve a frente do ministério por quase cinco meses e agora deu lugar a Brizola Neto, que tem a posse marcada para amanhã (3). O PDT havia apresentado mais dois nomes para a presidente: Vieira da Cunha (PDT-RS) e Manoel Dias, secretário-geral do partido. O ministério é controlado pelo PDT desde o governo de Lula.