Publicado em: segunda-feira, 23/07/2012

Brasileiros têm quarta maior fortuna do mundo em países considerados paraísos fiscais

Pela primeira vez um estudo permite mensurar os valores depositados em contas offshore. Trata-se de contas sobre as quais não é possível que o governo faça cobrança de impostos. Os dados da pesquisa indicam que s brasileiros considerados super-ricos possuíam mais de US$ 520 bilhões, o que equivale a mais de um trilhão de reais ate 2010 em países conhecidos como paraísos fiscais. Esse valor enviado para outros países pelos brasileiros é considerado como a quarta maior quantia do mundo depositada em outros países. Trata-se da quarta maior quantia do mundo depositada nesta modalidade de conta bancária. O estudo foi encomendado pela Tax Justice Network e escrito pelo ex-economista-chefe da consultoria McKinsey, James Henry.

Em 50 anos aumentou a quantidade de dinheiro em paraísos fiscais, diz relatório

O documento é conhecido como The Price of Offshore Revisited e apresenta um cruzamento de dados vindos do Banco de Compensações Internacionais, do Banco Mundial, do Fundo Monetário Internacional, além dos governos nacionais. Foi por meio do conglomerado de bancos de dados que foi possível chegar a esse resultado final sobre a quantia que é coloca em paraísos fiscais por brasileiros. O relatório apresenta dados de 139 países mais ricos do mundo e estima-se que desde 1970 até 2010, a riqueza não registrada passou de US$ $ 7,3 trilhões para US$ 9,3 trilhões.

Países da America Latina estão entre os que mais enviam dinheiro para outros países

Segundo o outro do estudo, esse dinheiro gera um buraco na economia mundial. Segundo ele, também é possível notar uma tendência de países da América latina em enviarem dinheiro para paraísos fiscais, Além do Brasil, México, Argentina e Venezuela estão entre os 20 países que mais possuem riqueza offshore. Segundo o direto da Tax Justice Network, John Christensen, os países que exportam riquezas seguem esse padrão, pois as elites locais são abordadas por bancos para que enviem seus lucros para o exterior.