Publicado em: terça-feira, 03/09/2013

Brasileiros são os que passam mais tempo em sites de bancos

Brasileiros são os que passam mais tempo em sites de bancosDe acordo com um estudo divulgado pelo IBOPE Media, e que é referente ao mês de julho, os usuários brasileiros são os que passam mais tempo visitando sites de instituições financeiras, como bancos, na internet. Segundo o levantamento feito pelo órgão, a média mensal dos visitantes de sites de bancos do Brasil é de uma hora e 22 minutos.

Comparando a média mensal de tempo gasto pelos brasileiros neste tipo de site com o mesmo tipo de pesquisa feita em outros países do mundo inteiro, os brasileiros ficam na frente de usuários de outras nações, como Estados Unidos, Itália, Reino Unido e Alemanha.

Ranking dos usuários que passam mais tempo em sites de bancos

Na comparação, o país que teve números mais próximos ao do Brasil foi a Alemanha, com uma média mensal de 47 minutos em sites de bancos.

Depois do Brasil e da Alemanha, o ranking dos usuários que passam mais tempo em sites de bancos é completado pelo Reino Unidos, que tem uma média mensal de 46 minutos por mês, os Estados Unidos, com 30 minutos por mês, seguido pelo Japão, com 21 minutos de navegação a cada mês.

De acordo com as informações dadas por José Calazans, que é consultor do IBOPE Media, este estudo ainda mostra que um mesmo usuários costuma visitar em um mês os sites de diferentes bancos. Segundo ele, entre as grandes instituições financeiras, cerca de 40% dos usuários visita com frequência mais de um site de banco.

O estudo feito pelo IBOPE Media mostra que o Brasil tem um maior número de pessoas que utilizam as páginas dos bancos. Os números referentes a julho deste ano mostras que 22,1 milhões de usuários únicos utilizaram os serviços destes sites, representando um aumento de 20% quando comparado com os usuários únicos registrados no mesmo período do ano passado.

Segundo a pesquisa, o volume de usuários únicos em sites de bancos corresponde a 39,3% dos usuários ativos da internet, que utilizam a rede em casa ou no trabalho, em julho deste ano. Em julho de 2012, essa correspondência era de 38,1%.