Publicado em: sexta-feira, 07/10/2011

Brasileiros que matavam para a máfia japonesa são presos

Dois homens acusados de um assassinato a mando da máfia japonesa (Yakuza) foram presos pela Polícia Federal brasileira. Eles estavam foragidos a mais de dez anos e na terça-feira, foram capturados por agente da Interpol. Cristiano Ito, o Javali, de 35 anos, foi encontrado em Mogi das Cruzes; Marclo Cristian Gomes Fukuda, de 31 anos, foi localizado em Campinas.

A marca da Yakuza, segundo a Polícia Federal, uma tatuagem azulada cobre a nuca e parte da cabeça de um dos suspeitos. O crime a eles atribuído aconteceu em 2001. A acusação afirma que eles mataram a tiros o comerciante Yoshitaka Kawakami e tentaram também matar a mulher dele, asfixiada e espancada. As vítimas dormiam no térreo de sua casa quando os dois entraram. O assassinato chocou o Japão pelo grau d violência.

A polícia do Japão informou que o mandante do crime foi Ikebe Tetsuo, irmão gêmeo da vítima. Ele contratou a máfia japonesa para assassinar o irmão. Segundo aponta relatório oficial, Tetsuo alimentava um “ódio incontido por Yoshitaka desde tenra idade”.

Os acusados, apesar de cidadãos brasileiros, possuem ascendência japonesa. Cada um teria recebido 3 milhões de ienes, cerca de R$ 71 mil. A polícia japonesa também tem participado das investigações e já definiu quem foi responsável por cada parte do crime. Ela concluiu que a Yakuza “procurou terceiros” para execução.