Publicado em: segunda-feira, 09/03/2015

Brasileiro entra para história do tênis com partida mais longa

O tenista brasileiro João ‘Feijão’ Souza entrou para a história do esporte, protagonizando com o argentino Leonardo Mayer a mais longa partida simples da Copa Davis. Essa também é a segunda partida mais longa da história do tênis, totalizando mais de 6 horas e 40 minutos. Essa disputa fica atrás apenas da disputa entre John Isner, norte americano, e Nicolas Mahut, francês, quando disputavam o torneio de Wimbledon, no ano de 2010. Para tristeza da torcida brasileira, Feijão acabou sendo derrotado no quinto set por 15 pontos a 13. O tenista é natural do interior de São Paulo, Mogi das Cruzes.

Em entrevista coletiva após a partida, Feijão comentou que lutou muito, mas que um dos dois tinha que perder no final, apesar do desgaste que os dois estavam sentindo com a partida longa. O paulista se mostrava visivelmente cansado e não chegou a mostrar sinais de abatimento pela derrota que sofreu no torneio. Ele comentou na entrevista que neste momento já estava pensando na vitória do Brasil na série, mas que foi realmente muito triste e duro perder depois de tanta luta, parabenizando a força do adversário pela vitória. Ele falou que agora a meta é voltar para a quadra e torcer para o companheiro de equipe, o tenista Belluci.Brasileiro entra para história do tênis com partida mais longa

Feijão comentou que ao disputar uma partida tão equilibrada, dura e longa como essa, o foco na luta era ir até o final, sem pensar para muito além disso, somente mirando em conquistar o ponto seguinte. Feijão ainda comentou a respeito do desgaste pela disputa, revelando estar sentindo cãibra na coxa, na panturrilha, no adutor e em vários outros pontos, que ele estava destruído. Ele declarou que sabia bem que aquele jogo iria entrar para a história, mas o foco agora era apenas seguir com a vida e torcer pela vitória do Brasil. Feijão revelou que nem estava conseguindo sentar direito por conta das dores.

Feijão falou também sobre seu condicionamento físico, que permitiu aguentar tantas horas de jogo, destacando que mudanças na alimentação o ajudaram bastante para isso. Apesar da exaustão, ele falou que a preparação física só ajuda até determinado ponto, porque depois disso, o esforço é apenas resultado da paixão pelo esporte e a vontade de ver o país vencer.