Publicado em: segunda-feira, 02/04/2012

Brasil vai repassar US$ 20 milhões para ações contra a fome no mundo

O Brasil planeja aplicar US$ 20 milhões em projetos para diminuição da pobreza, desenvolvimento sustentável na zona rural, lanche distribuído na escola, além de prevenção e gestão de desastres ambientais. O objetivo é contribuir com o combate à fome em todo o mundo. Esse valor foi anunciado pela ministra Maya Takagi, do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), durante a 32ª Conferência Regional da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO). O evento aconteceu em Buenos Aires entre os dias 26 e 30 de março e reuniu autoridades da América Latina e do Caribe.

Conforme anunciou Maya Takagi, secretária nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, o Brasil pode mostrar, ao longo da conferência, muitas das ações feitas no país contra a fome. O foco principal foi para os programas de transferência de renda que permitem uma alimentação melhor às famílias, principalmente para as crianças. De acordo com o que foi firmado nas reuniões, inclusive com a presença do diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, os 33 países pretendem dar prioridade para as ações que podem oferecer segurança alimentar a população latina.

O diretor-geral da FAO elogiou os projetos feitos no Brasil, no entanto ressaltou que é necessário não apenas ações do governo, mas também do setor privado, das universidades e da própria sociedade civil.

A ministra brasileira ressaltou que a principal causa da fome no mundo não é a escassez de alimentos, mas sim a pobreza. Para melhorar esse cenário é preciso apenas políticas simples como, por exemplo, o incentivo a agricultura familiar que gera renda para pequenos produtores. A conferência também teve a participação de ONGs e de integrantes da sociedade civil. As autoridades da América Latina ressaltaram que esse não é um problema apenas da região, mas de todo o mundo.