Publicado em: segunda-feira, 25/06/2012

Brasil toma decisões sobre Paraguai seguindo Argentina e Uruguai

Embora o Brasil esteja acompanhando o processo político paraguaio, a assessora de imprensa do Palácio do Planalto já anunciou que o governo brasileiro tomará decisão somente em parceria com os vizinhos Uruguai e Argentina. Ontem o Paraguai foi suspenso do Mercosul e o Brasil já deixou claro que não reconhece um estado em que não se respeita a democracia. O Mercosul era uma maneira de os países manterem contato uns com os outros. Agora, em função das fronteiras será necessário que os países encontrem outra fórmula para dialogarem. Embora essa decisão sobre o Mercosul tenha sido tomada ontem, os diplomatas acreditam que essa suspensão do Paraguai do bloco se dará apenas até às próximas eleições paraguaias que já estão agendadas para abril do próximo ano. O governo Brasileiro argumentou que o ex-presidente, Fernando Lugo, deveria ter tido mais tempo e espaço para a sua defesa e que o processo de impachment ocorreu de maneira muito rápida. O que o Brasil questiona, desta forma, é a forma com que o processo foi conduzido. Dentre todas as etapas do processo, o impeachment ocorreu em menos de 24 horas.

Dilma fez reunião para discutir o assunto no Brasil

Depois de conduzido de forma rápida o processo de impeachment de Fernando Lugo, a presidente Dilma, preocupada com o processo político ocorrido no país vizinho, chamou uma reunião com alguns ministros para discutir o assunto. Participaram da reunião o ministro de Relações Exteriores, Antonio Patriota (Relações Exteriores), da Defesa, Celso Amorim e de Minas e Energia, Edison Lobão. Também participou da reunião Marco Aurélio Garcia, assessor de Assuntos Internacionais. Ao final da conversa entre os ministros, foi redigida uma carta em que o governo brasileiro condena o processo político paraguaio e questiona a rapidez do processo, sem a possibilidade de defesa para o ex-presidente. No entanto o Brasil diz que não deve impor restrições ao país vizinho, a não ser que seja uma decisão entre os demais países também.