Publicado em: sábado, 30/07/2011

Brasil teve superávit primário recorde em junho segundo BC

O Banco Central divulgou nesta sexta-feira (29) que a economia feita n setor público para o pagamento dos juros aumentou de forma expressiva no mês de junho, graças a uma elevação na arrecadação de impostos.

Aliado ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), o superávit primário contribuiu para o recua da relação dívida líquida/PIB, mesmo com a apropriação de juros ter sido mais elevada da série, que começou em 2001.

“O semestre ficou caracterizado por um retorno à trajetória de normalidade em termos de cumprimento da meta. É uma trajetória que se assemelha mais aos anos anteriores à crise (de 2008)”, explicou o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel. Ele ainda disse que o crescimento e a formalização da economia têm gerado elevação das receitas.

O superávit primário de junho passado foi de 13,4 bilhões, levando o saldo acumulado no ano a R$ 78,2 bilhões. No acumulado dos últimos 12 meses, o [rimário acumulado foi de R$ 137,8 bilhões ou 3,54% do PIB, sendo o maior desde novembro de 2998, quando chegou a 3,77%.

O saldo dos 12 meses está acima da meta para o ano, que é de R$ 117,9 bilhões. Porém, os dados devem sofrer um abalo em setembro, quando saírem da conta os R$ 30 bilhões que devem ir para os cofres públicos com a operação de capitalização da Petrobras.

Apesar do valor, o BC e o Tesouro Nacional se mostram confiantes no cumprimento da meta e garantem que os dados então em linha com o alvo.