Publicado em: domingo, 03/08/2014

Brasil supera Estados Unidos e se torna líder mundial na realização de procedimentos cirúrgicos estéticos

Brasil supera Estados Unidos e se torna líder mundial na realização de procedimentos cirúrgicos estéticosO número de cirurgias plásticas teve um crescimento significativo de uns anos para cá, mas dessa vez, o Brasil ultrapassou os Estados Unidos e se tornou líder mundial na realização de procedimentos cirúrgicos estéticos, segundo um relatório que foi divulgado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps). No ano passado, os números revelaram que o país realizou 1,49 milhão de cirurgias, 12,9% do total mundial, que marcou 11,5 milhões. Até então, quem se mantinha na liderança era os EUA, com 12,5% cirurgias realizadas, o México em terceiro lugar com 4,2% e logo em atrás, Alemanha com 3%, e por último a Colômbia com 2,5% de cirurgias.

Foram avaliados também 19 tipos de operações, desses o Brasil saiu a frente e liderou dez, algumas delas foram: rejuvenescimento vaginal (13.683), cirurgia plástica abdominal (129.601) e transplante de cabelo (8.319). Quando se trata de lipoaspiração, o país se destacou e ficou em primeiro lugar com (227.896), na retirada de gordura de algumas regiões do corpo, o aumento das mamas (226.090) que é a mais procurada do Brasil, e a correção de seios que estão caídos (139.835).

Outros quesitos

Existe um outro quesito em que o Estados Unidos liderou e deixou o Brasil para trás com procedimentos estéticos não-cirúrgicos, nesse grupo estão inclusos a aplicação de toxina botulínica feita para ajudar a disfarçar as marcas e linhas de expressão que com o tempo são mais visíveis. O Estados Unidos está à frente no ranking com 21,4% dos 11.874.937 casos de 2013. Já nesse quesito o Brasil permanece em segundo lugar, com 5,5% do total. Realizando um levantamento de todos os procedimentos cirúrgicos e não-cirúrgicos, os EUA lideram a colocação global, e o Brasil fica como vice. De acordo com o documento que contém todas as informações e dados, as mulheres foram as que mais procuraram por especialistas na área cirúrgica e se submeteram a algum tipo de processo estético, desse grupo totalizaram: 87,2%.