Publicado em: quinta-feira, 05/09/2013

Brasil quer explicações sobre espionagem de Dilma

Brasil quer explicações sobre espionagem de DilmaDepois que a notícia de uma suposta ação da NSA, a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos, no Brasil, com a chefe de estado Dilma Rousseff, muita agitação tem ocorrido no meio político. A notícia veio à tona no último domingo, durante uma reportagem no programa dominical da Rede Globo, Fantástico. De acordo com as informações da emissora, José Eduardo Cardozo, o ministro nacional da Justiça, esteve reunido com a presidente Dilma ainda no último domingo para tratar do assunto.

Thmas Shannon, o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, deve em breve ser chamado pelo governo brasileiro para prestar explicações sobre o ocorrido. Cardozo declarou à Rede Globo que se os fatos chegarem a ser comprovados, o país estará diante de uma situação considerada inadmissível e inaceitável. Ele declarou que o governo brasileiro está considerando esta ação como uma clara violência à soberania do Brasil. Cardozo ainda frisou que o Brasil vem cumprindo de maneiro fiel suas obrigações e espera desta forma que todos os outros países parceiros também devessem respeitar a soberania dos outros países. Ele ainda destacou que irá apelar para órgãos internacionais, de forma a tentar garantir a soberania do país, exigindo explicações formais dos Estados Unidos.

A reportagem do Fantástico também revela que Enrique Peña Nieto, o presidente do México, também teria sido um dos alvos do esquema de espionagem norte americano. O Fantástico afirma ter conseguido estas informações através de documentos secretos liberados pelo fugitivo americano Edward Snowden, que foi o responsável por comprovar a existência do monitoramento.

O fugitivo é um ex-agente da NSA, que denunciou, em junho deste ano, o extenso programa de monitoramento, tanto pela internet, como por dados de telefone, que os EUA estavam mantendo dentro e fora do país. Os documentos usados pelo Fantástico foram entregues pelo americano Glenn Greenwald, que foi o primeiro jornalista a revelar e noticiar o esquema de espionagem eletrônica. Hoje ele vive no Rio de Janeiro com um parceiro brasileiro.