Publicado em: quinta-feira, 21/07/2011

Brasil precisa baixar juros a 7,25% para deixar de ser o país com a maior taxa mundial

A Taxa básica de juros brasileiras (a taxa Selic) precisa cair para 7,25% ao ano para que o país deixe de ser o primeiro com os maiores juros reais do mundo.

Para que esse plano fosse adotado, o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, deveria ter anunciando nesta quarta-feira (20) o corte em cinco pontos percentuais. Entretato, a entidade anunciou que será feita a elevação da taxa em 0,25% para chegar a 12,5%. Este é o quinto aumento seguido no governo Dilma.

Os juros reais da Selic são responsáveis pelo desconta da inflação projetada para os próximos 12 meses. Com essa projeção, os juros básicos brasileiros devem ficar em 6,8% ao ano com a nova alta.

Se a Selic fosse reduzida e chegasse aos indicados 7,25%, os juros reais do Brasil ficaria em 2,3%. Em uma situação hipotética, o país ficaria em segundo lugar no ranking mundial. O primeiro posto passaria a ser ocupado pela Hungria, com a taxa real em 2,4%. O Chile ficaria em terceiro lugar, com 1,8%.