Publicado em: sábado, 31/03/2012

Brasil negocia venda de carne suína para a Rússia

O Brasil está dando passos largos e importantes para tentar derrubar o embargo de carne suína brasileira na Rússia. A proibição já dura nove meses e ontem a comitiva governamental que tem como líder Mendes Ribeiro Filho, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do governo de Dilma Rousseff, esteve na capital russa para negociar os últimos pontos do acerto para iniciar novamente as exportações com a Rússia. A reunião com a ministra russa Elena Skrynnik demorou mais de uma hora e durante esse tempo foram discutidas também as possibilidades de comercialização do trigo da Rússia. Além disso, outros temas estiveram em pauta no acordo bilateral.

O motivo principal da reunião foi tentar solucionar os problemas técnicos sobre a exportação de carne suína. Segundo o ministro, o governo brasileiro quer uma solução para um problema que preocupa o agronegócio brasileiro, já que a Rússia é um comprador potencial do produto. As negociações serão retomadas na segunda-feira entre o secretário Enio Antonio Pereira, de Defesa Agropecuária brasileira e Sergey Dankvert, do Serviço Veterinário russo. O objetivo é detalhar o máximo possível os documentos necessários para avaliação do governo russo. O impasse pode ser derrubado ainda em abril, durante uma reunião do MERCOSUL.

No ano passado foram 436 mil toneladas para todo mundo, sendo que 124 mil foram diretamente para a Rússia. Isso explica a importância de retomar a exportação. O representante brasileiro garantiu ao governo russo que haverá maior controle e fiscalização do produto. Também está sendo avaliada a criação de joint ventures com empresas do setor privado para importação de aparelhos mais modernos para fazerem a inspeção da carne.

Outra estratégia do país é aumentar o mercado importador. Na semana passada a comitiva brasileira conseguiu derrubar as restrições aos suínos na Albânia e está em negociação com a Hungria. Além disso, se aproximou de outros países da região para expandir o mercado. Pode ser que haja um novo encontro durante a Rio + 20 para finalizar os acordos.