Publicado em: sexta-feira, 14/06/2013

“Brasil não está pronto para a Copa” diz site francês

“Brasil não está pronto para a Copa” diz site francêsNão é de hoje, nem de ontem. Há muito tempo todos se perguntam se o Brasil possui a infraestrutura necessária para o recebimento de um evento mundial, como a Copa do Mundo, que estréia em menos de um ano. Problemas nos aeroportos, de mobilidade urbana, de segurança, entre tantos outros são enfatizados quase que diariamente pelos jornais brasileiros. Quem não se lembra do terrível episódio de Santa Maria (RS), que teve repercussão relacionada com a Copa no veículos de comunicação do Reino Unido? Desta vez, o Sport24 é quem levanta questionamentos sobre os preparativos da Copa.

Menos de dois dias antes do jogo entre Brasil e Inglaterra, o Maracanã foi barrado pela Justiça. As autoridades alegavam que no estádio haviam restos de madeira e outros materiais perigosos, que poderiam ser usados em uma eventual confusão entre torcidas. Pouco tempo depois, um recurso foi utilizado pelos organizadores e o Maraca foi liberado para receber a partida amistosa. Essa é a parte que nós brasileiros já sabemos. O Sport24 trouxe outras evidências de que o país não está preparado. Segundo o portal de notícias, a terra amontoada na parte externa do estádio demonstra que a obra está incompleta.

Ora, se aspectos elementares para realização da competição ainda estão capengando, qual a garantia de que o país, imenso como o Brasil, está pronto? Nenhuma. A seleção do Uruguai ficou sem estádio para treinar antes da Copa das Confederações, nesta semana. Os repórteres franceses estão no Rio de Janeiro e apontaram para o problema da cobertura na Arena Fonte Nova, onde os engenheiros esqueceram de esticar uma lona – que encheu com água da chuva, fez uma bolsa e arrebentou.

Muito embora esse não seja um exemplo preocupante, é uma verdade. Há traços reais e preocupantes no depoimento dos jornalistas. A verdade é que o país vive um caos além da Copa. Em São Paulo e no Rio, que recebem os jogos em 2013, há violência nos protestos contra o aumento da tarifa de ônibus. A reportagem traz preocupações justamente nos setores de mobilidade urbana e hotelaria. Mais de 3 milhões de turistas são aguardados para a Copa do Brasil.