Publicado em: quinta-feira, 27/06/2013

Brasil ‘gripado’ afeta toda América Latina, diz TV chilena

Brasil ‘gripado’ afeta toda América Latina, diz TV chilenaOs protestos e manifestações pela melhor qualidade de vida dos brasileiros afeta na economia nacional e já preocupa países vizinhos. A presidente Dilma Roussef tenta dividir com ministros, governadores e demais governantes do território nacional, o caos das depredações de patrimônio público e o desespero de fazer algo pela educação e outras causas pontuais reivindicadas. A economia do país ia bem, mas já começa a desacelerar e vai sofrer para investir.

No Chile, Argentina e na Bolívia, parceiros da economia nacional, todos estão em alerta. A TVN, principal emissora televisiva do Chile, diz que o enfraquecimento na economia brasileira afeta todos os países latino-americanos.

Na Bolívia, a preocupação é sobre a compra de gás. No entendimento dos analistas político-econômicos, a estagnação econômica brasileira pode implicar na redução da economia boliviana: quando o Brasil importaria menor quantidade de gás e, possivelmente, devolveria imigrantes, elevando gastos do país emergente vizinho. A mão-de-obra boliviana, no Brasil, é forte na indústria têxtil.

O Chile tem investimento acumulado em quase US$ 13 milhões no nosso país, nos últimos anos, segundo informações do Banco Central do Brasil e do Direcon – Direção de Relações de Economia Internacionais. Na visão dos chilenos, a economia brasileira tem papel fundamental na qualidade de vida dos países latinos.

Até o Paraguai, que vinha crescendo de 11% para 13%, pode ter desaceleração econômica se o Brasil não conseguir conter a crise interna. Os paraguaios são altamente dependentes porque 21% das exportações (com exclusão da usina hidrelétrica de Itaipu) são destinadas aos brasileiros.

A Argentina se preocupa com a economia de automóveis. Se a moeda brasileira desvaloriza, diminui a importação de carros estrangeiros. O governo argentino espera decisões pontuais para que todos os países vizinhos não sejam afetados, indiretamente.