Publicado em: sábado, 05/04/2014

Brasil está em 46° lugar em qualidade de vida

Brasil está em 46° lugar em qualidade de vidaO Índice de Progresso Social (IPS) é um indicador global que avaliou 132 países. O Brasil conseguiu a 46ª posição e está à frente dos demais países do Brics, que são as potências emergentes da economia mundial. O Brics é formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

O indicador é feito através de mais de 50 quesitos que juntos mostram como anda a qualidade de vida da população de um país como moradia, saúde, saneamento básico, segurança e educação. O Brasil ficou com a média geral de 69,97 pontos. A escala começa em 0 e vai até 100 pontos.

Em primeiro lugar está a Nova Zelândia com 88,24 pontos. Depois vem a Suíca, Islândia, Holanda, Noruega e Suécia. Sete países europeus estão entre os dez primeiros colocados. Na sequência vem o Canadá e a Austrália. Em último lugar, com apenas 32,60 pontos, está o país africano chamado Chade.

Um dos destaques no Brasil foi quanto ao Produto Interno Bruto (PIB), liberdade e escolha pessoal, tolerância e respeito, além de acesso ao conhecimento básico. A colocação do Brasil em relação a esses itens ficou entre a 27ª e a 38ª. O que mais pesou foi a segurança pessoal e deixou o país na 122ª posição. O acesso à educação também não esteve em um bom lugar, em 76º.

Contudo, o resultado é satisfatório para a América Latina e Caribe já que os países que compõem essas regiões superaram as expectativa. Entre as nações latino-americanas, o Brasil ficou em sexta posição. Na sequência vem Costa Rica, Uruguai, Chile, Panamá e Argentina. Esses países foram bem nos quesitos cuidados médicos básicos e nutrição, além do acesso ao conhecimento básico. Em contrapartida, há falha no acesso à educação superior e segurança pessoal.

O IPS avalia se um país consegue sanar as necessidades básicas de sua população e se tem estrutura para que os cidadãos adquiram maior qualidade de vida. Trata-se de mostrar o crescimento econômico das nações. Mas, sozinho, o IPS não é suficiente para poder enfrentar problemas sociais como desigualdade e pobreza.

Outros países conhecidos pelo alto índice de qualidade de vida não foram tão bem no IPS como a Alemanha que obteve a 12ª posição.