Publicado em: sábado, 18/02/2012

Brasil e Argentina devem construir hidrelétrica em parceria

Em anúncio na última quinta-feira (16), os ministros de Energia do Brasil e da Argentina, Edison Lobão e Julio de Vido disseram que Brasil e argentina devem construir duas usinas hidrelétricas em parceria. O projeto deverá ser financiado pelos dois países, sendo que cada um terá direito a 50% da energia produzida.

Lobão afirmou que uma empresa estatal será criada para administrar a construção e manutenção dos dois empreendimentos. A estatal deve funcionar dentro do padrão da Itaipu, que é a empresa que coordena os trabalhos dentro da hidrelétrica binacional de mesmo nome, em que o Brasil divide a energia com o Paraguai.

O ministro brasileiro disse que a empresa será nos mesmos moldes da Itaipu e que será feito apenas alguns ajustes e aperfeiçoamentos necessários. A decisão foi tomada em reunião com o ministro Argentino em Brasília. Lobão e Vido não anunciaram ainda a estimativa de custo para a construção, mas afirmaram que cada uma delas deve operar aproximadamente mil megawatts de potência.

As duas hidroelétricas deverão se chamar Panambi e Garabi e a licitação para escolha dos projetos executivos da construção de ambas está prevista para acontecer entre os dias 7 e 8 de março de 2012. Para Lobão, o acordo entre Brasil e Argentina para a criação de duas novas geradoras de energia é um de integração na América do Sul, pois trata-se da união de dois países por meio de uma empresa binacional. Vido, ministro Argentino, complementou dizendo que o projeto entre os dois países tem grande efeito em toda a América do Sul.

Vido pretende discutir investimentos da Petrobras na Argentina

O ministro disse aos jornalistas que pretende se reunir com a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster. O objetivo da reunião é discutir investimentos no país vizinho, mas a reunião ainda não foi marcada.