Publicado em: sábado, 03/03/2012

Brasil e Alemanha assinam acordo cultural

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, assinou um acordo cultural entre o Brasil e a Alemanha, prevendo o intercâmbio de técnicos em programa culturais dos dois países. O acordo entre as nações foi publicado ontem, sexta-feira (2), no Diário Oficial da União.

Dilma embarca hoje (3) para a Alemanha e permanece lá em visita oficial até a próxima quarta-feira, dia 7. O Ministério das Relações Exteriores informa que a presidente está em Hannover nos dias 5 e 6 de março.

Durante a viagem, Dilma irá visitar a Feira de Tecnologia e Inovação Digital (Cebit) de Hanoover. De acordo com a Presidência, Dilma será acompanha pela chanceler alemã Angela Merkel, que foi quem a convidou para a visita.

De acordo com o texto publicado no Diário Oficial, o acordo entre as nações foi aprovado em 2008 pelo Congresso Nacional, entrando em vigor a partir da data de sua publicação, na sexta feira.

O texto, chamado de Estatuto de Instituições Culturais e seus Técnicos Enviados, pretende promover “a cooperação cultural entre os dois povos”. De acordo com texto, fazem parte do programa “instituições culturais, centros culturais ou outras instituições de intercâmbio acadêmico, instituições de ensino superior, escolas de ensino geral e profissionalizante, estabelecimentos de formação e aperfeiçoamento de professores, de educação de adultos, de formação e reciclagem profissionais, bibliotecas e salas de leitura”.

Cultura na Alemanha

A Alemanha é o país que tem a maior população entre os membros da União Europeia, além de abrigar também a maior população de migrantes internacionais em todo o mundo.

Historicamente, a Alemanha é chama de Das Land der Dichter und Denker (A terra dos poetas e pensadores). A cultura alemã tem início antes do surgimento da própria Alemanha, tendo sido moldada pelas principais tendências intelectuais da Europa, tanto religiosas quanto as seculares.

Na Alemanha, os estados são encarregados pelas instituições culturais. Existem mais de 230 teatros subsidiados, centenas de orquestras sinfônicas, milhares de museus e mais de 25 mil bibliotecas espalhas pelo país. Os museus, por exemplo, recebem mais de 91 milhões de visitantes por ano. Anualmente também, cerca de 20 milhões de pessoas assistem peças nos teatros e óperas.