Publicado em: quarta-feira, 07/03/2012

Brasil é a 6ª economia mundial e pode alcançar a quinta posição em 2012

Mesmo com a forte queda no ritmo de crescimento em 2011, o Brasil foi declarado a sexta maior economia mundial e pode alcançar a quinta colocação em 2012, de acordo com um novo prognóstico. Para obter a sexta colocação, o Brasil ultrapassou o valor do PIB (Produto Interno Bruto) do Reino Unido. Enquanto a economia britânica chegou a US$ 2,420 trilhões em 2011, segundo a “Economist Intelligence Unit”, os dados divulgados nesta terça pelo IBGE apontam que no Brasil foram gerados US$ 2,474 trilhões no ano.

Os números mostram que a economia brasileira cresceu 2,7% em 2011. Com esse resultado o Brasil está na sexta posição, depois dos Estados Unidos, China, Japão, Alemanha, França. Em 2012 o país pode ultrapassar a França e ocupar a quinta posição do ranking. Segundo Robert Wood, economista sênior da EIU, esse desenvolvimento era improvável há cinco anos, mas com as economias européias afetadas pela crise e com a brasileira impulsionada, é possível que isso aconteça.

Com os problemas econômicos nos países ricos, os emergentes conseguiram crescer mais estes últimos anos, como é o caso do Brasil.

Ainda há muito que ser feito, diz analista

Segundo Jason Vieira, analista internacional da corretora Cruzeiro do Sul, o Brasil ultrapassou o Reino Unido em relação ao valor gerado durante todo o ano de 2011, mas o mais relevante é a superação da renda per capita. Isso significa uma melhora na vida da população. Hoje, enquanto a renda per capita de um brasileiro é de US$ 12.200, a de um britânico é de US$ 40.560.

Segundo Vieira ainda há muito que ser feito no país para se firmar como potência econômica em nível mundial. Atualmente o Brasil tem importante posição no que se refere ao crescimento mundial, mas isso se deve à forte presença da exportação de commodities e ao sistema de controle do sistema financeiro. Agora é necessário fazer a “lição de casa”.

Apesar do resultado do PIB abaixo do esperado, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, espera que em 2012 a economia apresente um ritmo mais acelerado de crescimento que o de 2011. O governo espera terminar um ano com o PIB fechando em torno de 4,5%. Segundo o ministro, uma série de medidas já está sendo implantada. Entre elas destaca-se a redução de juros e o barateamento do crédito. Mantega disse ainda que com essas medidas e com um estímulo na área de investimentos, o crescimento chegará a 5% no segundo semestre.