Publicado em: segunda-feira, 19/03/2012

Bradesco lidera ranking de empresas com maior quantidade de reclamações no Procon-SP

De acordo com os dados divulgados pelo Procon na semana passada, é a primeira vez que um banco ocupa o primeiro lugar no ranking de reclamações feitas por clientes. Em segundo lugar está o B2W, que administra o Submarino e da Americanas.com. Esse ranking é apresentado desde 1998 e mostra as 10 empresas com maiores problemas com os usuários.

De acordo com os dados do Procon, o Bradesco teve 1.723 reclamações no ano passado. Essa é uma novidade, pois nos últimos cinco anos a pior empresa foi a Telefônica que estava no topo da lista. Para a elaboração do ranking são retiradas informações do Cadastro de Reclamações Fundamentadas. Para a lista consideram-se apenas as queixas em aberto, ou seja, que não foram resolvidas pela empresa. De acordo com Paulo Arthur Góes, membro do Procon-SP, esse ranking tem o papel de servir de parâmetro para os consumidores, mas também auxilia as empresas a melhorarem seus serviços.

B2W ocupa segundo lugar do ranking

Na lista divulgada pelo Procon, o segundo lugar é ocupado pela B2W que administra as três redes de lojas na internet: Americanas.com, Submarino e Shoptime. Foram totalizadas 1574 ligações. O terceiro lugar ficou com Itaú Unibanco, que terminou 2011 com 1383. A Telefônica, que antes estava em primeiro lugar, passou para a sexta posição, com apenas 835 reclamações. Também estão na lista a TIM e Oi, que ocupam o 5º e 7º lugares, nesta ordem. O Bradesco, que está em primeiro lugar havia terminado 2010 em terceiro.

2011 teve alta de 15% no total de atendimentos

Ano passado o Procon-SP registrou um total de 727.229 ligações com queixas e orientações. Esse valor representa uma alta de 15% ante 2010. Do total 589.535 das ligações eram referentes a consultas e orientações. Os outros 137.694 eram de reclamações. Desses, 76% dos casos foram solucionados e 4,5% se transformaram em reclamações fundamentadas. Dessas 33 mil ligações referentes a reclamações, 48% foram atendidas e resolvidas pelas empresas, sendo que 52% não. Esse ranking engloba apenas esses 52%, que se refere aos problemas não solucionados.