Publicado em: sábado, 03/03/2012

Bovespa atinge novo recorde nesta sexta-feira e atinge 67 mil pontos

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) bateu novo recorde nesta sexta-feira ao registrar ganho de 1,5% no pregão. A bolsa retornou aos 67 mil pontos que tinha alcançado pela última vez em 11 de abril de 2011. Essa alta teve influência da expectativa do mercado de que o Banco Central possa cortar rapidamente a taxa de juro. O Ibovespa subiu 1,45%, retomando 67.781 pontos, com R$ 6,96 bilhões de giro na sessão. O desempenho do Ibovespa é acompanhado de perto pelos investidores, pois é o principal indicador da movimentação das cotações do mercado brasileiro.

Já em Nova York o comportamento das bolsas foi distinto. O Dow Jones terminou estável, com uma pequena oscilação negativa de 0,02%. O Standard & Poor’s 500 baixou 0,32%. Segundo Pedro Paulo da Silveira, economista da Tov Corretora, o cenário brasileiro é melhor e está otimista com a possibilidade da redução de juros na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) que deve acontecer na quarta-feira. A provável redução na taxa básica teria o objetivo de impedir a desvalorização do dólar ante o real.

Ações apresentaram valorização para fechar a semana

No Ibovespa, algumas ações se destacaram em alta. A Petrobras teve ganho de 1,69%, fechando a R$ 25,30. As ordinárias da OGX subiram 1,46%, terminando o dia em R$ 17,43. A preferencial da Vale também teve alta de 0,81%, a R$ 43,30. Já as que fecharam em negativo foram a B2W que recuou 5,6%, terminando a R$ 9,94 e a Lojas Americanas, que fechou em 4,43%, em R$ 17,49. Além das ações cotadas pela Bovespa, outras também tiveram alta para fechar a semana. As ações Suzano valorizaram 8%, chegando a R$ 8,73. Esse resultado veio depois que o jornal Valor Econômico afirmou que o grupo anglo-sul-africano Mondi pretendia assumir 50% da futura fábrica de celulose no Maranhão.