Publicado em: quinta-feira, 27/02/2014

Bolsonaro perde para PT a eleição para presidir a Comissão de Direitos Humanos

Bolsonaro perde a eleição para presidir a Comissão de Direitos HumanosApós muita polêmica em torno do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), nesta quarta-feira (26), grande parte dos deputados da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, escolheu o deputado Assis do Couto (PT-PR) para a presidência do colegiado, resultando assim na derrota da bancada evangélica que apoiava Bolsonaro, recebendo 8 votos, e que não foram suficientes para vencer. O petista e novo presidente da Comissão de Direitos Humanos, recebeu 10 votos e é ligado à agricultura familiar, e todos os consideram com um perfil mais moderado em comparado com Bolsonaro. O PT orientava para que nenhum parlamentar de seu partido, tornasse a comissão em um ‘palco pessoal’. A eleição começou com a discussão por conta da validade de Bolsonaro participar da disputa, já que de acordo com que é praticado entre eles, é comum que os deputados confirmem na presidência o nome ao qual foi indicado pelo partido. Já o petista, apresentou a eles uma declaração do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmando que não há nada que impeça sua própria candidatura nas comissões.

Racismo

De acordo com o presidente da Câmara, diz que já pode antecipar que não há nenhuma objeção quanto a isso, que proíba a candidatura avulsa. Os deputados Henrique Afonso (PV-AC) e Enio Bacci (PDT-RS), acabaram defendendo Bolsonaro, mas afirmaram que votariam contra ele. Um dos motivos alegados por eles, segundo Henrique Afonso, foi em razão das declarações e os problemas que se criou com o movimento negro. Bolsonaro se defende dizendo que, não é a favor de cotas mas isto não é racismo, e por isso pede que não o acuse de racista. Desde a criação da Comissão, em 1995, o PT já ocupou 13 vezes a presidência. O PDT teve posse por três vezes, PC do B e PPB, uma vez.