Publicado em: sábado, 15/02/2014

Bitcoin pode minar poder do banco central dos EUA, afirma estudo

Bitcoin pode minar poder do banco central dos EUA, afirma estudoA moeda virtual que vem crescendo vertiginosamente pode não preocupar o Banco Central do Brasil, mas já vem incomodando os norte-americanos. De acordo com um estudo realizado pelo serviço de pesquisa dos Estados Unidos, a circulação dos bitcoins poderá afetar a política monetária do Banco Central norte-americano. O documento publicado em dezembro do ano passado, demonstra uma preocupação não apenas com o mercado dos ianques, mas também com o indiano e chinês, que também poderão ser impactados pela “criptomoeda”.

Por ser extremamente instável, o bitcoin pode afetar as políticas do Fed, cujas principais características é manter a estabilidade dos preços e do mercado financeiro, assim como ter um alto índice de empregabilidade, o que, de acordo com o estudo, não seria possível com a moeda virtual.

O impacto que o bitcoin pode ter na economia global pode ser catastrófico, pois desestabilizaria a economia e a circulação de moedas via internet faria com o dólar deixasse de circular.

Atualmente, a empresa que faz a conversão de dólares para bitcoins possui mais de 20 mil cadastrados, e a título de curiosidades, times de basquete aceitaram a moeda na compra de ingressos.

A principal preocupação é de que o interesse por dólares diminua e aumente a necessidade de adquirir a criptomoeda. O ex-presidente do Fed, Paul Krugman é um dos maiores oposicionistas da moeda, e chamou diversas vezes de “perversa” e “utópica”. Ouro economista renomado, chegou a afirmar há 15 anos que em algum dia uma moeda digital seria capaz de colocar em xeque o poder monetário dos EUA.

Os chineses e indianos optaram por agir antes que o bitcoin afete a economia dos países emergentes e têm dificultado as transações em seus territórios. Na China, por exemplo, houve uma espécie de bloqueio contra a moeda digital, enquanto na India, um dos administradores da moeda chegou a ser preso por conta dos riscos econômicos da criptomoeda.