Publicado em: segunda-feira, 24/10/2011

Biografia de Steve Jobs mostra lado mais íntimo da vida do cofundador da Apple

A biografia autorizada de Steve Jobs, cofundador da Apple, escrita por Walter Isaacson, começou a ser vendida à meia-noite desta segunda-feira (24). A mesma data foi usada por 18 países para disponibilizar a obra que mostra detalhes mais íntimos da vida de Jobs que, antes de morrer, fez questão de tentar manter o máximo da sua privacidade. A data de lançamento original estava prevista para novembro, mas, em decorrência da morte de Jobs, o autor adiantou a chegada dos livros.

Uma das maiores revelações mostradas no livro diz respeito à maneira como Jobs se sentia com o seu próprio comportamento em relação a outras pessoas, pois chegava a valorizar mais o seu trabalho. “Seu maior defeito era que em algumas ocasiões se deixava levar tanto pela paixão que chegava a ser mesquinho com as pessoas. (…) Não costumava pedir perdão, mas mesmo assim as pessoas eram fiéis a ele porque valorizavam seu talento,” afirmou o autor da obra.

Isaacson também mostra que Jobs se arrependeu de muitas coisas, como o distanciamento da sua filha mais velha desde o seu nascimento e a maneira como tratou seus pais biológicos quando entrou na faculdade. Pelo fato de ter sido uma criança adotada, Jobs acabou desenvolvendo uma relação muito intensa com sua mulher e seus filhos, de acordo com os relatos de Isaacson.

O cofundador da Apple morreu em 5 de outubro, depois de passar vários anos lutando contra um câncer pancreático. Uma das decisões das quais Jobs se arrepende é de ter recusado uma cirurgia logo quando foi diagnosticado, pois depois ficou tarde demais para uma recuperação certeira.