Publicado em: quinta-feira, 01/09/2011

Berlusconi afirma em telefonema interceptado que ‘vai embora’ do país em alguns meses

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, teria afirmado em ligação telefônica que vai deixar o país. A conversa gravada foi entre o premiê e o editor do jornal local Avanti!, Valter Lavitola, no dia 13 de julho. O áudio gravado foi usado pela Procuradoria de Nápoles no processo que investiga Berlusconi no caso das supostas festas organizadas na sua mansão que teriam envolvido a participação de prostitutas e também de menores.

De acordo com publicações locais, Berlusconi teria afirmado durante a conversa gravada que “em alguns meses me vou. Vou embora deste país de m…, do qual estou nauseado. Ponto e basta. Eu sou assim, transparente, limpo nas minhas coisas. Não há nada que me possa incomodar, entendeu? Eu sou uma pessoa que não faz nada que possa ser assunto de notícias criminais. Estou absolutamente tranquilo.” As autoridades informaram que o restante da gravação tem como tema principal os processos judiciais contra o primeiro-ministro, mas em todos os momentos ele nega as acusações.

Nesta quinta-feira (01), foi preso o casal Giampaolo Tarantini e Angela Devenuto, ambos de 34 anos, pelas autoridades da Divisão de Investigações Gerais e Operações Especiais (Digos) de Nápoles. Ambos foram acusados de terem chantageado o primeiro-ministro e foi confirmado o recebimento de milhões de euros nas suas contas.

Segundo depoimento prestado por Tarantini, o empresário confirmou ter pago prostitutas para irem às festas na mansão de Berlusconi. A chantagem aconteceu quando Tarantini teria exigido dinheiro em troca de não informar as autoridades que o primeiro-ministro sabia da condição das mulheres.