Publicado em: terça-feira, 18/02/2014

Beira-Rio tem seu primeiro evento-teste para a Copa do Mundo

Beira-Rio tem seu primeiro evento-teste para a Copa do MundoApós mais de um ano fechado para as reformas da Copa do Mundo, o Beira-Rio reabriu as portas na tarde deste sábado, para a partida entre Internacional e Caxias. Além do jogo, válido pelo Campeonato Gaúcho, este foi também o primeiro teste do novo estádio para receber as partidas do Mundial de 2014. Apesar de alguns problemas de organização, o primeiro teste teve um balanço positivo para o estádio do Internacional.

Problemas

Os problemas deste sábado começaram muito antes de a bola rolar. José Francisco Seabra, promotor que faria uma inspeção final no estádio, demorou a chegar ao local porque a viatura que iria busca-lo acabou sendo roubada. Foi preciso que um segundo veículo fosse solicitado e, então, Seabra chegou ao Beira-rio.

A entrada da torcida no estádio também teve problemas. De acordo com alguns torcedores, foi preciso ficar mais de duas horas na fila, embora a bilheteria do Beira-Rio estivesse restrita a apenas dez mil ingressos vendidos. Devido à demora, muitas pessoas começaram a furar a fila, o que deixou o acesso aos portões completamente desorganizado. A certa altura, a fila que dava acesso ao interior do estádio chegou a ter quatro bifurcações.

Cadeiras numeradas

Já com a partida em andamento, o novo telão do Beira-Rio não foi utilizado. A estrutura funcionou apenas por alguns minutos, na etapa inicial, para dar indicações sobre uma simulação de incêndio.

Nas arquibancadas, a falta de costuma da torcida brasileira com cadeiras numeradas ficou evidente. Em diversos momentos da primeira etapa, era possível ver torcedores sendo repreendidos porque não queria assistir ao jogo sentados. De acordo com informações da Rádio Gaúcha, que cobriu a partida, alguns membros da torcida organizada do Internacional tiveram de ser retirados do estádio, porque se recusaram a ocupar seus lugares.

A partida

Dentro de campo, a situação foi muito mais tranquila. O Internacional não teve dificuldades para golear o Caxias e, com dois gols de Fabrício, e outros dois de Rafael Moura, fechou o placar em 4 a 0. Rafael Moura, inclusive, foi o autor do último gol no Beira-Rio antes do fechamento do estádio para reformas, em outubro de 2012.

Riscos

Embora seja uma possibilidade remota, o Beira-Rio ainda tem chances de ficar de fora da Copa do Mundo, devido a problemas burocráticos. Embora o estádio já esteja pronto, ainda são necessários mais R$40 milhões para a construção da estrutura provisória para a Copa do Mundo. Contudo, Giovanni Luigi, presidente do Internacional, se recusa a arcar com este valor, afirmando que a responsabilidade é da prefeitura de Porto Alegre. Enquanto este “jogo de empurra” não for definido, o planejamento em relação à estrutura provisória está paralisado.

Apesar do imbróglio, Luigi parece otimista. Pouco antes do início da partida, o dirigente afirmou que há uma “luz no fim do túnel” para se resolver o impasse do Beira-Rio. Contudo, o mandatário colorado preferiu não dar maiores detalhes sobre qual seria a possível solução. A resolução do problema, entretanto, já deve acontecer nos próximos dias.