Publicado em: sexta-feira, 07/03/2014

BC projeta inflação em 2014 e 2015 acima do centro da meta, diz Copom

Possível inflação em 2014 e 2015 acima do centro da metaA inflação no Brasil está instável, é o que afirma os relatórios do Comitê de Política Monetária (Copom). A entidade afirma que as metas do governo para a inflação estão abaixo do esperado, mas mesmo assim, os números são animadores.

Na tarde da última quarta-feira (05), o Copom fez uma projeção que parece ser animadora até mesmo aos mais pessimistas. Em relação ao próximo ano, a estimativa é de que a inflação permaneça em números abaixo da média.

De acordo com o Copom, a taxa Selic não incomoda os investidores e os economistas esperam que 2014 seja um ano com uma inflação menor do que o ano passado. No entanto, devemos levar em consideração que o aumento dos preços de alguns produtos nos últimos meses poderá afetar as estimativas, além de que tem contribuído para que a inflação não diminua em maiores proporções.

A taxa Selic aumentou na última semana em 0,25%, passando para 10,75% ao ano. Até então, os aumentos eram superiores a 0,5%, o que não aconteceu desta vez. Especialistas preveem que em abril a taxa volte a subir, e isso explica o fato de terem aumentado em apenas 0,25%.

A inflação no pais atualmente está em 5,65%, sendo que a meta do governo é de que o ano se encerre em 4,5%. Portanto, a inflação no Brasil neste ano deverá ser estável para que seja reduzida em 2015.

Segundo os dados informados pelo Copom, a entidade acredita que em 2014 haverá uma estabilidade nos preços dos combustíveis. No entanto, a eletricidade deverá elevar a inflação, uma vez que o Brasil está à beira de uma crise energética em decorrência da falta de chuvas.

Ainda de acordo com a ata, a entidade manteve a projeção de estabilidade nos preços da gasolina em 2014, assim como a perspectiva de reajuste de 7,5% na tarifa residencial de eletricidade. Portanto, é necessário que o Banco Central esteja atento para as situações e em prontidão para elaborar pacotes econômicos emergenciais.